I've got a war in my mind.

I've got a war in my mind.

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

I've got a war in my mind.

Mensagem por Aztridë Párduc Zülia em Qua Jul 02, 2014 4:56 pm

everyday I wake up alone...

▲ DADOS BÁSICOS ▲
Nome: Aztridë Párduc Zülia
Idade: 17 anos.
Sexualidade: Bissexual
Ala: 1
Doença: Psicopata/Sociopata.

▲ HISTÓRIA ▲
Hëllina sofrera de depressão durante sua gravidez. Os médicos disseram que aquela seria uma gravidez de risco, e que ou a mãe ou o bebe poderiam morrer. Hëlina estava fraca e desidratada e teve apenas o tempo de escolher o belo nome que a menina portaria.
Aztridë Párduc Zülia. Nascera num dia frio e tempestuoso, numa pequena cidade da Rússia. Seu pai e sua irmã mais velha, por apenas dois anos, esperavam para poder ver o belo rosto com traços delicados que a pequena tinha.
Sua mãe fora enterrada três dias após o nascimento de Aztridë. Nikölai, o pai de Aztridë e Savinë, sofrera muitíssimo com a perda de sua querida esposa, mas jamais abandonara suas filhas. A única fonte de amor verdadeiro que ele encontraria para sua vida.
Aztridë cresceu como uma criança feliz, normal e saudável. Seu pai mal tinha tempo para ficar com as filhas, e por isso elas tiveram diversas tutoras e babas.
Savinë e Aztridë sempre foram muito amigas, mas isso começara a mudar quando Aztridë encontrou outras prioridades em sua vida, que eram bem diferentes do que as prioridades de Savinë.
Ao contrário da irmã, Aztridë sempre foi rebelde, quebradora de regras, destemida... Savinë, portanto, era uma donzela muito calma, tranquila e bem educada.
Quando completara seus treze anos, Aztride arrumou um primeiro namorado. Na verdade, este garoto fora a fonte de ódio entre as irmãs Párduc. Égor, fora o primeiro amor de Savinë, mas ele nunca quisera nada com ela. Um moço mais velho, quase na idade de ingressar para o exercito. Portava um belo sorriso e olhos azuis brilhantes. Aztridë também apaixonara-se pelo moço, e por algum motivo o sentimento era recíproco.
O casal começara a sair e logo estavam namorando. Aztridë era cegamente apaixonada por Égor e fazia de tudo para que ele nunca a visse como um peso morto em sua vida, portanto ela saia de casa escondida para ir as festas com Égor, para beber e fumar junto a ele e seus amigos, más influencias, mas Aztridë já pouco se importava.
Um ano se passara, e Aztridë tinha tudo para ser uma pessoa feliz, exceto as brigas desnecessárias com sua irmã, a qual a menina chamava de invejosa.
Savinë tinha um ano para entrar para a faculdade, quando um conflito entre dois países grandes se iniciara e seu pai tivera que emancipá-la para cuidar de Aztridë.
Obviamente, Aztridë não aceitara aquilo facilmente e estava cansada de Savinë mandando nela tempo todo.
Égor a convidara para fugir dali, mas Aztridë sabia que não poderia deixar a irmã, e por mais que fizesse de tudo para vê-la irritada, a garota a amava.
Três meses de conflito, uma noticia destruidora. Nikölai morrera no campo. Dois dias para o corpo chegar à Rússia e ser enterrado e Égor teve uma overdose, a qual o matou.
Aztridë estava quebrada. Completamente inteiramente quebrada, mas ao invés de ficar em casa com a única família que restara, a garota saíra para beber com os “amigos”.
Aztridë não compareceu ao funeral de seu pai e nem de Égor. Ela só queria encontrar alguma coisa que fizesse aquela dor da perda passar. Nada fora suficiente, a não ser seu coma alcoólico que a deixara apagada por quase um mês e meio.
Savinë desistira de Aztridë e finalmente a internara em Purched, onde a garota fora diagnosticada como sociopata.
Nada fazia sentido para Aztridë. Ela era frequentemente dopada e gostava daquilo, porque quando ela dormia, ela esquecia a dor. Todos os remédios e tratamentos eram muito fortes e corriam pedaço de seu cérebro onde as memórias deveriam ser armazenadas.
Os médicos a medicavam de tal maneira porque Aztridë tentava cometer suicídio todos os dias, e as sessões de eletro choque eram as únicas que a acalmavam, até Aztridë se perder completamente e as vezes nem saber seu próprio nome.
Todos os dias eram um passo para a própria destruição da garota.

▲ CURIOSIDADES ▲

► O pai de Aztridë sempre a amara muito, mas tinha pouco tempo para as filhas, e isso tornava Aztridë bem rebelde, para provocar a irmã, a qual proibia Aztridë de fazer qualquer coisa.
► Aztridë teve seu primeiro namorado aos 13 anos. Ele tinha 18. E fora nessa época que a garota começara a fumar e beber, por influencia do namorado.
►Savinë e Aztridë brigavam muito. Aztridë não aceitava que Savinë mandasse nela.
►O pai de Aztridë fora tenente do exercito Russo, por isso sua irmã fora emancipada aos 17 anos, quando ele teve que ir para o campo, e Savinë ficou responsável por Aztridë.
► Assim que Aztridë perdeu o pai, também perdera o namorado para uma overdose.
►Os sintomas da doença de Aztridë ficaram explícitos quando a menina perdeu o pai para a guerra. Eles eram muito próximos e ela o amava incondicionalmente. Perder seu namorado também fizera-a sofrer demais.
► A garota continuava a fugir de sua realidade, bebia e se drogava muito, fazia sexo constantemente com garotos e garotas, e com seus 15 anos foi quando assumiu sua bissexualidade.
► Savinë internou Aztridë em Purched por ter medo do que a garota era capaz de fazer a si mesma, e a menina fora diagnosticada como sociopata.
► Aztridë nunca fora uma pessoa sociável, mesmo antes de saber de tal doença.
► O maior medo da garota era o esquecimento, e ela acabou sendo esquecida em um hospital psiquiátrico.
►Aztridë viciara-se em morfina, que tirava-lhe todas as dores e ela podia dormir em paz, nas escuridão de seus sonhos.
►A garota perdera todas as esperanças de um dia poder ser feliz assim que fora transferida para Mortiri.


▲ RELATIONSHIPS ▲
Genevivë Poppiako:

Zöe Foxx
Player :
Nenhuma

Ala :
Nenhuma

Idade :
Nenhuma

Frase :
here you have no choise, no peace and no hope

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum